Alergologia Cutânea - Testes Epicutâneos

 

 

Os eczemas de contacto são uma causa frequente de consulta em dermatologia.

Estamos repetidamente em contacto com inúmeras substâncias, que podem funcionar como alergénios ou agentes sensibilizantes. A pele pode reagir desenvolvendo uma reacção inflamatória e pruriginosa, caracteristicamente no local de contacto, mas por vezes noutros locais, o que pode tornar o diagnóstico menos evidente.

Perante a suspeita de um eczema ou dermatite de contacto é útil a realização de testes epicutâneos, que consistem na aplicação de uma série de substâncias escolhidas por grupos de estudo (Portugal - Grupo Português de Estudo das Dermites de Contacto) em função de critérios de frequência e representatividade de vários potenciais alergénios. Estas substâncias ficam em contacto com a pele durante 48 horas para verificar se alguma delas desperta um pequeno eczema no local de contacto. Os resultados positivos terão que ser criteriosamente avaliados, pois uma reacção positiva, apesar de indicar que se está sensibilizado em relação a esse alergénio, poderá não ter relevância para o eczema que estamos a estudar.

Identificada a substância responsável pelo eczema de contacto o melhor tratamento é evitar o contacto com essa substância, o que nem sempre é fácil, podendo obrigar, por exemplo, a uma mudança de actividade profissional.

Os eczemas de contacto são frequentes na face, nos lobos das orelhas, nas mãos, na região peri-umbilical e nos pés.

Os adornos metálicos (brincos, fivelas, botão metálico dos jeans, etc.), cosméticos, champôs, tintas capilares, verniz das unhas, perfumes, etc. são exemplos de produtos que podem ser responsáveis por dermatites de contacto. O calçado é também causa frequente de eczema, por sensibilização ao crómio (utilizado no tratamento do couro), às colas ou a vários ingredientes das borrachas.

Na actividade profissional e doméstica as mãos contactam com inúmeras substâncias pelo que não surpreende que algumas pessoas desenvolvam eczema das mãos. Na maioria dos casos são provocados por substâncias que secam e irritam a pele (ex. detergentes, excesso de lavagem das mãos, lixívias, diluentes, etc.). No entanto alguns são de natureza alérgica e algumas profissões são particularmente afectadas (ex. cabeleireiras, cozinheiras, floristas, trabalhadores da construção civil).